sábado, 8 de janeiro de 2011

Leia "O homem do violão quebrado"

O HOMEM DO VIOLÃO QUEBRADO

Reli hoje o livro O HOMEM DO VIOLÃO QUEBRADO da escritora Camilla Cerqueira Cesar, uma das fundadoras do Celiju, Centro de Literatura Infanto-Juvenil, que não mais existe e do qual fiz parte. Minha querida amiga Camilla partiu para sempre no ano de 1987, deixando esse livro que recebeu o PRÊMIO JABUTI de 1984.
Nessa história, a menina Maricota, que estava em seu quarto, de repente é levada pela ventania para um lindo quintal, com cheirinho de frutas e descobre que seus brinquedos favoritos: o coelhinho Dondoca e o burrinho de madeira Ronca-Ronca também tinham sido transportados para lá. Ronca-Ronca não podia andar pelo quintal porque suas pernas estavam presas a uma tábua com rodinhas, então Maricota e Dondoca foram procurar algumas ferramentas para soltá-lo. Foi aí que encontraram o HOMEM DO VIOLÃO QUEBRADO e então,a história vai se desenrolando em descobertas e aventuras. A menina e seus amiguinhos descobrem o GRANDE CIRCO DO QUINTAL e o palhaço recitou para eles os seguintes versos:

Uma coisa ninguém sabe
De quem era o violão,
Do menino ou do homem,
Da senhora? De alguém mais.
Mas, é a história simples
Do homem dependurado
E de seu violão quebrado.
Naquela grande cidade.
Entre outros muitos mil.
Vivem a bela senhora
O menino que trabalha
Andando de lá pra cá.
E o homem dependurado
Com seu violão quebrado.

Antes de continuar
Eu lhes vou apresentar
Pela ordem de entrada
Todos os amigos que
Nesta história tomam parte.
Eia a rua da cidade.
Nela está o grande prédio
Com o hom,em pendurado.
Agoram vejam o menino
E a senhora na janela.

É um livro alegre como sua autora e muito gostoso de ler.
Foi publicado pela GLOBAL EDITORA e tem ilustrações de HELENA ALEXANDRINO.
Leitura recomendada para todos.

Um grande abraço,
Regina Sormani

2 comentários:

Iram M. disse...

Para mim é uma honra seguir esse tipo de blog.
Eu que adoro ler, escrever, viver nesse mundo encantado das palavras.
Voltarei sempre.

Iram

Regina Sormani disse...

Oi, Iram, obrigada!
Fique à vontade em nosso blog.
Bj,
Regina Sormani