sábado, 1 de janeiro de 2011

Viva a poesia



As aventuras do Pintinho Azul

Nesta história, a pintinho Azul, é aconselhado pela vilã Perua a escapar do galinheiro e se aventurar pelo mundo lá fora. Longe da proteção da galinha Rosa e do galo Tenor, Azul vai reencontrar velhos inimigos...
Esse livro foi publicado pela Paulus e ilustrado pelo Marchi.
Os versos abaixo foram retirados da história, que é interativa.
Boa leitura a todos.
Um beijo,
Regina Sormani


O galo Tenor e a galinha Rosa
Andavam contando prosa
O dia inteiro
No meio do galinheiro

— Azul, o nosso pintinho
É esperto e engraçadinho.

A Angola, amiga e madrinha
Vivia falando sozinha,
Elogiando o afilhado.
Toda cheia de cuidado:

— Tô fraco, tô fraco! Mas que beleza!
É o melhor da redondeza.

Azul crescia forte e querido
E um tantinho convencido.
Estava ficando cansado
De ser tão paparicado.

A Perua, inconformada com a situação
Resolveu entrar em ação.
Chamou o pintinho Azul de lado
E mandou o seguinte recado:

— Chegue aqui, não tenha medo.
O que eu vou lhe contar não é um segredo.
Tenho experiência, sou viajada.
Este galinheiro não está com nada!

Dessa forma, sempre que Azul se afastava de Rosa, de Tenor ou da Angola, a Perua se aproximava dele e falava sobre o quintal. Ali, sim, era um belo lugar, com árvores gigantescas e frutas deliciosas.
O que acontecerá a Azul se ele ouvir os conselhos da Perua e resolver fugir do galinheiro?

2 comentários:

Marli Boldori disse...

Regina,acabei aqui em seu rico blog,fiquei lendo,tudo com muito valor,parabéns,voltarei para continuar lendo.feliz Ano Novo!Um beijo!

Regina Sormani disse...

Marli,
Obrigada!
Um bom Ano Novo para você também.
Um beijo,
Regina